segunda-feira, 30 de julho de 2007

MÃE D’ÁGUA!



Iemanjá, mãe d’água!

Minha Janaína, Rainha do mar!

Procuro na água salgada

– de cor prateada –

o encanto do teu olhar!


Senhora feiticeira,

Guardiã das ondas mansas,

permita-me que no teu seio

possa eu navegar...


Sou do teu ventre filha

seduzida por teus cabelos...

Brinca comigo, mãezinha!

Deixa-me neles mergulhar.


(pintura de Armand Point, 1861-1932)

Um comentário:

Geraldo Junior disse...

Olá querida! Belas palavras doces, encantadas!

Beijo.